Desabafo de uma mãe sozinha

10/10/2018

Ser mãe sozinha não é a mesma coisa que ser mãe solteira. Posso dizer que é mesmo o contrário - é a mãe que SÓ tem o marido para ajudar!

 

Ser mãe é difícil, mas ser mãe sozinha tem um peso maior. A responsabilidade cai toda em nós, Temos de ser as mães super heróis de sempre e ao mesmo tempo tapar os buracos dos tios, primos, amigos e avós!

Nem falo só das coisas boas! Eles nem estão cá para os culparmos das coisas mas! Porque também fazem falta os irmãos que nos desautorizam a frente dos filhos, os primos que nos chateiam a dizer que os miúdos não deviam ver vídeos no telemóvel, os amigos a serem os maus da fita e claro, os pais a estragar os netos com mimos!


Independentemente dos destinos, sair de casa com dois filhos não deve ser muito diferente do que é para as outras mães, trocamos as malas giras e as carteiras novas por sacos cheios de fraldas, mudas de roupa, comida, biberões e mais mil e uma coisas. Antes de sair de casa, a logística também não deve ser muito diferente. Ter a certeza de que temos crianças satisfeitas, bem dormidas, alimentadas e trocadas!

 

Os destinos de sempre tornam-se num pequeno grande desafio!

 

As idas ao supermercado são difíceis. Entro já cansada! Depois da rotina de sair de casa, entro com o carrinho de compras já cheio com uma cadeirinha de bebé, uma criança e às vezes o tal saco de “coisas”!

Depois é só conseguir comprar so que e preciso o mais rápido possível e tentar evitar certos corredores. Manter um filho quieto é difícil mas manter DOIS (e num supermercado) é no mínimo, um grande desafio!

 

As idas ao médico, seja ele qual for, requerem um mala extra com distrações de todos os tipos. Brinquedos, jogos, comida e uma boa dose de coisas que podemos usar para negociar com uma criança de dois anos! Não tenho (muita) razão de queixa do sistema de saúde daqui mas o desafio de manter uma criança cheia de energia quietinha e caladinha numa sala de espera e durante uma consulta é qualquer coisa! Então, escusado será dizer que médicos é so mesmo em caso de emergência porque a preguiça fala mais alto nas outras consultas de rotina!

 

As idas a restaurantes são cada vez menos - o menu não agrada a todos, os espaços não são propícios e muitos estabelecimentos aqui proíbem mesmo a entrada de crianças a partir de uma certa hora.

 

As idas à casa de banho são sempre acompanhadas e os banhos de dia são batem recordes de rapidez!

 

As idas a bares, concertos e ao cinema, essas? Essas acabaram mesmo!

 

Gosto de ver o lado positivo das coisas e levo tudo como se fosse um desafio! Sejamos sinceras, manter uma criança quieta seja onde for é difícil! Elas querem atenção, querem brincar e explorar. Não há volta a dar.

E vão fazer birras, muitas birras! E com as birras em público vão aparecer os especialistas em palpites, os doutorados em maus olhares e nós, mães sozinhas, ficamos peritas em ignorá-los a todos!

 

Não é bom, não é mau, mas é o que é!


Podia ser pior? Sem dúvida! Mas dou imenso valor aos imigrantes, às mães imigrantes e as mães imigrantes sozinhas! Principalmente aquelas que vieram antes de mim, as que vieram sem nada e as que vieram por necessidade!

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Top Posts

CATEGORIES

Please reload